MUVIR

Confira 6 coisas no Google que você não deveria pesquisar de jeito nenhum!

A internet tem sido uma ferramenta muito útil para pesquisas sobre quase todos os tipos de assuntos. No entanto, é preciso estar atento a alguns termos pesquisados que podem trazer resultados desagradáveis para o usuário.

Expressões como ‘tripofobia’ e ‘calcanhar de maracujá’ por exemplo, são alguns dos tipos de pesquisas que devem ser evitadas, pois resultam em imagens visivelmente abomináveis, principalmente para usuários mais sensíveis.

Outro tipo de pesquisa que você deve evitar é as redes sociais do ex, pois provavelmente você sentirá saudades dele ou dela. Buscar detalhes de séries que você ainda não terminou de assistir também não é legal devido à possibilidade de receber spoilers.

Portanto, conheça agora seis coisas que você não deveria pesquisar no Google de maneira alguma.

1. Não pesquise os seus sintomas.

Essa é uma das pesquisas mais perigosas, quando o assunto está relacionado à sua saúde. Todos os usuários que fizeram isso, com certeza se arrependeram dos resultados. Muitos tipos de doenças apresentam características similares e por isso os resultados podem associar a enfermidades mais graves.

Tosse e coriza, por exemplo, são sintomas de um resfriado comum, mas, ao pesquisar por eles no Google o primeiro resultado apresentado é relacionado à Covid-19.

Além disso, um autodiagnóstico equivocado baseado em um resultado do Google pode causar um fenômeno conhecido como “cybercondria”. Trata-se de uma condição em que a pessoa se sente ansiosa e preocupada com sua saúde física, levando-a a pensar que está com uma doença mais séria do que realmente tem e, consequentemente, a se automedicar em excesso. Por isso, quando há dúvidas sobre sintomas, o recomendado é buscar por ajuda profissional com um médico especializado.

2. Calcanhar de maracujá

O termo “Calcanhar de maracujá” é utilizado há muito tempo na web para pregar peças em internautas desavisados. A expressão se refere a uma infecção parasitária chamada Miíase Cavitária, que ocorre quando larvas de moscas são depositadas em cavidades na pele de humanos ou animais, formando uma protuberância semelhante a um furúnculo. A condição normalmente faz com que o local afetado fique com uma aparência desagradável, com aspecto semelhante ao de um maracujá.

Apesar de ser uma pegadinha muito popular na Internet, é recomendável que pessoas com maior sensibilidade não busquem pelas imagens relacionadas a esse termo — já que, por serem explícitas, elas podem ser perturbadoras.

3. Mercadorias acima do seu poder aquisitivo

Consoles e celulares de última geração são itens muito pesquisados pelos usuários na Internet, principalmente por aqueles que não conseguem comprá-los. Buscar por mercadorias acima do seu poder aquisitivo só vai te dar mais vontade de ter o produto e pode, se você não tiver controle emocional, te fazer gastar o dinheiro que não tem.

4. Tripofobia

Pesquisar por “tripofobia” no Google pode ser uma experiência traumatizante para quem ainda não sabe que sofre da condição. O termo é utilizado para descrever uma forte aversão a imagens com um grande volume de buracos ou saliências agrupadas, que podem causar ansiedade, desconforto, náusea ou medo em algumas pessoas.

Ao pesquisar por esse termo no Google, os resultados mais comuns são de padrões de buracos encontrados na natureza, como em troncos de árvore, favos de mel ou no sapo-do-surinã, conhecido por possuir dezenas de orifícios nas costas. No entanto, também é possível encontrar condições médicas com esse comportamento, o que tende a ser ainda mais desagradável para quem sofre de tripofobia.

5. Redes sociais de ex-namorados

Pesquisar as redes sociais de ex-namorados pode dificultar a superação do término. Mesmo assim, é comum que os usuários deem uma olhadinha nos perfis dos ex-parceiros para matar a curiosidade. Acontece que isso nem sempre acaba bem.

A visita pode aumentar as saudades e até deixar você triste, principalmente se o término foi recente. Por sorte, existem medidas que te ajudam a não procurar o(a) ex na Internet, como bloquear os perfis dele(a) ou silenciar publicações e Stories. Uma outra dica para esquecer alguém é procurar novos hobbies, desabafar com os amigos e respeitar o seu luto.

6. Séries a que você ainda não terminou de assistir

Ao pesquisar uma série que você pretende assistir ou até mesmo por aquela que ainda não terminou de assistir, sem sombra de dúvida você receberá spoiler. Você pode, por exemplo, buscar informações sobre uma atriz específica do elenco de sua série favorita e descobrir, sem querer, que a personagem morre no último episódio. Por isso, evite pesquisar sobre as produções.