MUVIR

Conheça o suplemento que pode reduzir sua pressão arterial 

Uma vida mais saudável aliada a esse suplemento faz a diferença

Presentemente, com a necessidade constante de nos movimentar, seja estudando, trabalhando ou fazendo outras atividades que demandam cada vez mais da nossa energia, nós acabamos esquecendo de cuidar do mais importante, a qual é a nossa saúde, nosso maior e inestimável bem.

A pressão arterial alta, ou hipertensão, é uma doença crônica que atinge milhões de pessoas, chegando a uma estimativa de 20% de toda a população mundial, sendo um fator de risco para doenças cardíacas, AVC (derrame cerebral), insuficiência renal crônica, aneurismas e lesões nos vasos sanguíneos dos olhos.

Os sintomas, segundo a OMS, costumam aparecer somente quando a enfermidade já tomou proporções muito elevadas.

icone do wi fi em um smartphone wi fi smartphone telefone celular internet wi fi 1435096046440 v2 4x3

Permaneça conectado onde estiver

Existem apps que garantem internet de qualidade por meio de redes públicas. Saiba mais clicando no botão abaixo.

Dentre os sintomas, os mais comuns são: dores no peito, dor de cabeça, dor na nuca, tonturas, fraqueza e sangramento nasal.

Não existe cura para pressão alta, porém é possível realizar tratamento e acompanhamento médico, no qual pode ser indicado o uso de medicamentos aliado a uma alimentação controlada, o que, além do tempo que não se tem atualmente, demanda esforço e desembolso constante. 

Além da hipertensão, existe um vilão silencioso na vida dos brasileiros: o colesterol alto. 

Segundo a Sociedade Brasileira de Cardiologia (SBC), 4 em cada 10 brasileiros têm colesterol alto. Além disso, há um grupo que nem mesmo sabe quanto é a sua própria taxa de colesterol.

Sendo assim, a SBC sugeriu que tais dados fossem amplamente divulgados, já que esse assunto exige atenção e cuidado.

Sintomas

São sintomas de Colesterol LDL alto: fadiga, palpitações frequentes, dor de cabeça constantes, evoluindo para enxaquecas, além de um constante inchaço abdominal, ou seja, sintomas que dificultam a vida de qualquer um e merecem ser tratados com máxima urgência. 

Caso contrário, podem levar a uma condição irreversível, como a um possível AVC (Acidente Vascular Cerebral), infarto, entre outras complicações intratáveis e impedidoras na vida de qualquer um.

Que os suplementos alimentícios, como vitaminas e minerais, auxiliam em diversos tratamentos e suprem diversas deficiências alimentares, você já tem conhecimento afirmativo. 

Entretanto, o trans resveratrol, conhecido por diminuir a pressão arterial no corpo e, portanto, reduzir os riscos de hipertensão e aumento do colesterol LDL, está sendo extensivamente, cada vez mais, estudado por profissionais da saúde do mundo inteiro, pois a pura existência dele promete uma coisa de extrema importância:

o alívio para milhares, senão milhões de pessoas, que possuem doenças crônicas de cunho arterial.

Ele, por si só, já garante uma série de melhoras na saúde do indivíduo que listamos agora para você!

Ação antioxidante: 

A poderosa ação antioxidante do Trans Resveratrol previne o envelhecimento celular, combate os radicais livres e promove a longevidade. 

Além disso, o combate ao estresse oxidativo contribui para a prevenção do câncer e proteção do cérebro.

Controle da glicose no corpo: 

Ao controlar os níveis de glicose no sangue e aumentar a sensibilidade a insulina, o Trans Resveratrol favorece a prevenção e o tratamento da diabete e obesidade.

Além de diminuir os níveis do colesterol ruim no corpo (LDL), aumenta a imunidade do indivíduo, garantindo dificuldade para que ele adquira novas enfermidades.

 

Então…

Como usar?

 

Na realidade, você já ingere a substância por meio de alimentos do dia a dia, como nas uvas e, portanto, nos vinhos tintos.

No entanto, pela probabilidade alta de aumento da pressão pelo teor alcoólico, recomenda-se ingeri-lo por meio de suplementação.

“O trans-resveratrol não produz os mesmos efeitos dos medicamentos, por isso não deve nunca os substituir.

Entretanto, ao usá-lo com os fármacos e sob acompanhamento médico de forma individualizada, deve ser possível diminuir a dose de remédios do paciente, e assim reduzir os efeitos adversos do tratamento”, detalha Inar Castro Erger, professora do Departamento de Alimentos e Nutrição Experimental da USP.

Desta forma, não se deve abandonar a boa alimentação e muito menos os medicamentos, se esses forem prescritos, e sim uni-lo nessa linha de frente contra essas enfermidades que tanto assolam o Brasil.